Wednesday, January 10, 2007

VIGÍLIA





Desconfio que estou desaparecendo,
E por isso estou em vigília.
A inexistência pode chegar a qualquer hora,
E penetrar meu espírito, em surdo silêncio.


Então meus olhos procurarão o que já não estará.
Buscarão nos altos ventos que espreitam minha juventude,
A perpetuação dessa efêmera ânsia de vida.
Desta vida que outrora amei.